Pela 1ª vez economista mulher é nomeada diretora-geral da OMC

1192
Ngozi Okonjo-Iweala, nova diretora-geral da OMC - Foto: divulgação
Ngozi Okonjo-Iweala, nova diretora-geral da OMC - Foto: divulgação

A nova diretora-geral da OMC, Organização Mundial do Comércio, é a economista nigeriana Ngozi Okonjo-Iweala.

Com a nomeação, anunciada nesta segunda, 15, a Dra. Okonjo-Iweala faz história como a primeira mulher e a primeira africana a liderar a OMC, instituição que regula as ações comerciais entre 164 nações, incluindo o Brasil.

Okonjo-Iweala tem 66 anos e já foi por duas vezes ministra das Finanças da Nigéria – ela foi a primeira mulher a comandar o ministério.

Ngozi ocupou também a pasta de Relações Exteriores do país por dois meses.

A nova diretora-geral da OMC começou sua carreira no Banco Mundial, em 1982, onde trabalhou por 25 anos.

Recentemente, ela presidiu a Aliança Global para Imunização e Vacinação (GAVI, na sigla em inglês) e liderou um dos programas da Organização Mundial da Saúde na luta contra a pandemia.

Até hoje, a Organização Mundial do Comércio, criada em 1995, foi dirigida por seis homens: três europeus (um irlandês, um italiano e um francês), um neozelandês, um tailandês e um brasileiro.

A OMC está sem líder desde que o brasileiro Roberto Azevêdo deixou o cargo no último mês de agosto, durante a pandemia do coronavírus – um ano antes do fim de seu mandato, em agosto.

Ngozi Okonjo-Iweala assume o cargo no lugar dele e o mandato dela começa no próximo dia 1º de março.

Com informações do Sputnik