Rebeca é prata e faz história na ginástica olímpica em Tóquio

1167
Rebeca Andrade é a 1ª medalhista olímpica da ginástica feminina do Brasil - Foto: Jamie Squire / Getty Images
Rebeca Andrade é a 1ª medalhista olímpica da ginástica feminina do Brasil - Foto: Jamie Squire / Getty Images

Deu pódio brasileiro de novo em Tóquio. Rebeca Andrade garantiu a prata e se tornou a primeira medalhista olímpica da ginástica feminina do Brasil. É histórico!

Com 57,298 pontos, Rebeca só perdeu para americana Sunisa Lee, que somou 57,433 pontos. O bronze foi para a russa Angelina Melnikova, com 57,199 pontos.

Por muito pouco a brasileira não conquistou o ouro: apenas um passo para fora no solo do Baile de Favela.

Agora, ela vai disputar outras duas finais nas Olimpíadas de Tóquio: domingo no salto, e segunda-feira no solo.

São mais duas chances de medalha para o Brasil

As provas

O primeiro exercício da rotação foi o salto, a especialidade de Rebeca. E ela não decepcionou. Com um movimento limpo, um cheng com uma bela aterrisagem, ela brilhou e recebeu a maior nota, 15.300.

Nem mesmo uma punição, após pisar na linha de aterrissagem, que descontou 0.1, impediu que a brasileira vencesse o aparelho.

As barras assimétricas, entretanto, não trouxeram a mesma alegria para Rebeca. Mesmo executando movimentos que não foram feitos nas eliminatórias, ela ficou em quinto, dentre as seis participantes. A nota de 14.666, foi bem abaixo dos 15.300 da americana Sunisa Lee.

A excelente nota no salto ainda garantia a brasileira na liderança, com 0.66 a frente da americana.

O terceiro aparelho foi a trave e, diferentemente das outras duas séries, ela não foi bem. Rebeca não cravou na saída e teve uma nota abaixo do esperado, 13.566.

Foi pedida a revisão de pontos aos juízes e eles aumentaram a nota da brasileira em 0.1, o bastante para garantir a segunda colocação para Rebeca na segunda posição.

Foi emocionante! Olha ela com a medalha:

Com informações do Metrópoles