Filho dá Fusca e realiza sonho do pai que o ajudou a se formar em Odonto

20543
O fusca 1978 era o sonho do pai e traz uma memória de quando Fabrício era pequeno e a família tinha um modelo igual - Foto: reprodução
O fusca 1978 era o sonho do pai e traz uma memória de quando Fabrício era pequeno e a família tinha um modelo igual - Foto: reprodução

Qual filho não gostaria de realizar o sonho do pai? E o Fabrício Martins, de 45 anos, conseguiu fazer isso. Ele deu um Fusca 1978 para o seu Rogério, por pura gratidão pelo apoio e incentivo que recebeu do pai, durante a faculdade de Odontologia.

Fabrício lembra que passou muitas noites em claro e era o o seu Rogério Nunes Martins, de 71 anos, que não o deixava desistir.

Agora atuando como dentista, Fabricio fez a surpresa porque o modelo do carro traz uma memória incrível para toda família dele.

Inspiração

Fabrício lembra que durante muito tempo trabalhou com o pai, que era dentista prático. Inspirado, ele fez um curso para se tornar dentista protético. Foi exatamente nessa época que resolveu ingressar em uma faculdade de Odontologia.

“Eu entrei na faculdade com 36 anos e me formei com 41. E nesse percurso todo aí ele sempre me apoiou. E eu falei que um dia ia retribuir esse esforço que ele fez pra mim”, conta o filho.

O dentista lembra que o pai não o ajudava financeiramente a custear os estudos, mas virava as noites com ele trabalhando.

“Hoje sou dentista faz quatro anos. Pude ter condições de proporcionar isso, que era uma alegria dele. Por pura gratidão”, comemora Fabrício.

Memória afetiva

A família, que é de Tubarão, em Santa Catarina, tem uma relação muito próxima com o fusca. Fabrício conta que esse era o modelo que o carro tinha quando ele e os irmãos eram menores.

“Ele sempre teve fusca. Na época dele, levava os filhos dentro do carro, no “fuca”, como falávamos, viajava com a gente, passeava pra fazer dormir. Então o sonho dele foi esse, de ter um fusca de novo”, conta Fabrício.

Hoje Sr. Rogério é aposentado. O filho explica que o pai não tem condições de comprar um carro e, na hora que pensou em dar um presente, não considerou outro modelo. Tinha que ser aquele que trazia as melhores memórias de volta.

“Eu sei que ele não tem condições, é aposentado com salário-mínimo, minha mãe também, e eu com a minha profissão tive o privilégio de proporcionar isso a ele”, conclui o profissional.

A família aproveitou o presente para lembrar de antigos domingos. Fabrício se reuniu com suas duas irmãs, o pai e a mãe e deram uma volta de fusca para lembrar os velhos tempos em família.

Veja o vídeo do momento que Fabrício presenteia o pai com o fusca:

Com informações de HC Notícias