“Me livrei do câncer de próstata graças à prevenção”, alerta jornalista do SNB

1815
"Me livrei do câncer de próstata": Rinaldo de Oliveira, do Só Notícia Boa, entra na campanha Novembro Azul - Foto: SNB

“Me livrei do câncer de próstata!” É com a maior alegria do mundo que eu, Rinaldo de Oliveira, fundador e CEO do Só Notícia Boa, levanto a bandeira deste Novembro Azul e uso a luta que travei contra essa doença nos últimos 3 meses, para alertar outros homens. (vídeo abaixo)

Deixei para revelar agora – 13 dias depois da cirurgia (prostatectomia radical) feita em Brasília – para não assustar vocês, afinal sou o homem da notícia boa e também precisei me equilibrar depois que recebi a pancada do diagnóstico, aos 58 anos de idade.

E como o final feliz de tudo isso coincidiu com a chegada mês de conscientização e prevenção ao câncer de próstata, decidi entrar na campanha do Novembro Azul para alertar e inspirar outros homens a fazerem os exames de prevenção o quanto antes.

Por que? É que foi justamente a prevenção que me salvou, me fez descobrir a tempo e cortar o mal pela raiz, antes que o câncer se alastrasse e me matasse, como aconteceu com meu avô nos anos 1980!

“Quando pegamos a doença no inicio, temos uma grande chance de curar. Em um caso como o seu, temos 87% de chance de cura da doença, de estar livre da doença em 10 anos. E de estar vivo em torno de 96% em 15 anos”, disse o Dr. Fernando Croitor, urologista que descobriu o meu câncer e realizou a cirurgia de retirada da próstata.

Muita vontade de fazer xixi

Por ter histórico familiar, há anos eu fazia exames periódicos para acompanhar a situação da próstata. Mas o que me levou a procurar o médico este ano foi algo inusitado: muita vontade de fazer xixi.

Durante o inverno eu comecei a acordar de madrugada para ir ao banheiro e durante o dia a vontade vinha de repente e forte, a ponto de precisar correr para fazer o #1.

Na Clínica Miletto, o Dr. Fernando disse: “urinar a noite pode ser a próstata, mas no seu caso não parecia ser”.

E me pediu diversos exames.

A biopsia revelou

Comecei os exames pelo PSA, que deu alterado. O curioso foi que todos os outros que vieram na sequência deram normais, inclusive a ressonância magnética não apontou a presença do câncer.

Aí o Dr. Croitor pediu que eu fizesse uma biópsia. Naquele dia eu comecei a ter noção de que estava diante de uma situação séria de saúde.

O resultado da biópsia saiu dias depois e foi tudo o que eu não queria ouvir.

Uma das punções encontrou um câncer muito pequeno, bem inicial, porém de risco intermediário, se preparando para crescer, virar metástase e possivelmente me matar em até 5 anos – fazendo as contas, estou com 58 + 5 = 63 anos, justamente a idade da morte do meu avô.

“Era um câncer de próstata de risco intermediário para avançado, que tem indicação de tratamento curativo, preferencialmente por cirurgia, com alto índice de cura no tratamento”, me explicou o Dr. Fernando.

Medo de morrer

Quando saí do consultório, eu meio que perdi o rumo de casa.

Dar a notícia para a família, o medo de a cirurgia mexer com a minha masculinidade, o medo de ficar na mesa de cirurgia, de o médico descobrir durante a cirurgia que o câncer já tinha se espalhado… milhares de coisas passam pela cabeça da gente nessa hora.

Confesso que foi difícil pensar em coisas boas naquele fatídico dia de agosto, perto do dia dos pais, quando recebi o diagnóstico de que estava com câncer.

Não me revoltei, porque não sou assim. Fiquei triste, preocupado, me isolei e me protegi nos braços da família… e nem nos dias mais difíceis perdi a fé ou a esperança.

Marcamos a cirurgia para outubro.

Como eu superei

Pra não ficar maluco nesses 3 meses de espera, me joguei de cabeça no Só Notícia Boa. Passei a trabalhar das 6 da manhã até às 10 da noite de segunda a domingo.

E sem perceber bebi da mesma fonte que leva esperança e anima milhões de pessoas: o SNB me ajudou bastante a minimizar o medo, a angústia e a fazer o tempo passar mais rápido.

A cirurgia

A prostatectomia radical foi feita no último dia 19 de outubro no Hospital Santa Lúcia Norte, em Brasília, pelo Dr. Fernando Croitor que me orientou a fazer a cirurgia robótica, por ser mais moderna e precisa para preservar os nervos da ereção e o canal da urina.

“Esse câncer era inicial, estava localizado na próstata. É um câncer que tende a evoluir invadindo a próstata, a pelve, os gânglios da pelve, depois dando metástase. A ideia de operar é justamente a intenção de curar. Então retiramos a doença antes que ela se espalhe. A ideia é matar esse tumor já na raiz, no local onde ele se iniciou que é a próstata, um glândula que fica entre a bexiga e uretra, na pelve do homem”, explicou o urologista.

Caminhando no dia seguinte

E foi tudo brilhantemente perfeito.

Fui para o quarto à noite, logo que acordei da anestesia.

No dia seguinte já estava caminhando pelo corredor do hospital e o Dr. Croitor me deu alta – sim, menos de 24 horas depois!

Vim para casa acompanhado do “cachorrinho” que virou meu companheiro inseparável durante 10 dias: uma bolsa coletora de urina ligada à bexiga por uma sonda (a parte mais incômoda desse processo todo).

O alívio veio na última sexta, 29, quando finalmente tirei a sonda e passei a usar o dryman, um absorvente masculino para incontinência urinária, que é comum nos primeiros dias do pós cirúrgico.

Recebi a melhor notícia!

No dia da retirada da sonda, o Dr. Croitor me deu a notícia boa do ano (até ele virou adepto).

Ele conseguiu adiantar o resultado do exame anatomopatológico – de fragmentos da minha próstata, vesículas seminais, colo vesical e descobriu que, felizmente, a doença estava concentrada apenas naquele ponto da próstata. Não evoluiu para outras partes internas nem externas, ou das vesículas seminais.

Claro que vou ter que continuar acompanhando tudo isso nos próximos 10 anos, mas ao que tudo indica, o câncer foi retirado junto com a próstata e não me pertence mais.

Bomba relógio

E é importante relembrar: eu só descobri e consegui extirpar o câncer a tempo após um exame de prevenção.

E se eu não tivesse ouvido o “grito” do meu corpo e deixado de procurar o médico?

E se eu tivesse aquele preconceito ignorante e machista do exame de toque?

E se eu tivesse deixado pra ver isso depois?

Certamente a bomba relógio continuaria ativada.

“Só existe um jeito de atacar, ou ser vitorioso no combate ao câncer de próstata: a prevenção. Só conseguimos curar se for feito diagnóstico precoce com a doença inicial. Aí sim vamos ter um alto índice de cura, em torno de 80%. Agora, se esperar ter sintomas para só então fazer o diagnóstico, na maioria das vezes nós não vamos curar mais ninguém[…] Prevenção é tudo em relação a essa doença, é sinônimo de cura”, lembrou o Dr. Croitor.

Novembro Azul SNB

Por isso, vamos fazer vários eventos no Só Notícia Boa para espalhar a campanha do Novembro Azul.

Além desta matéria que você está lendo, a campanha terá vídeos especiais.

Vamos mostrar o meu diário pós-operatório, com a evolução que eu tive nos primeiros 10 dias.

Teremos também lives com entrevistas com o Dr. Croitor, e outros pacientes que também conseguiram detectar o câncer de próstata a tempo e hoje estão aí trabalhando e curtindo a vida.

Gratidão

Confesso que sou só gratidão! Virei notícia boa também, gente!!!

Certamente Deus tem novos propósitos para mim e me quer vivo nessa terra para continuar o tocando o SNB e o Só Vaquinha Boa, nosso filho mais novo.

Obrigado ao Dr. Croitor por persistir, investigar, achar o câncer e tirá-lo de dentro de mim com tamanho profissionalismo e paciência.

Obrigado também à equipe do Só Notícia Boa e do Só Vaquinha Boa por manter nossa missão de pé enquanto eu me ausentava, e pelas boas vibrações enviadas nesses 2 meses.

Obrigado à minha família pelo apoio naqueles dias mais difíceis e pelo carinho e cuidado no pós-operatório. Cresci junto com vocês e aprendi a valorizar as coisas mais simples… até fazer xixi!

Viva a vida!

Rinaldo de Oliveira.

Rinaldo no quarto assim que acordou da anestesia - Foto: arquivo pessoal
Rinaldo no quarto assim que acordou da anestesia – Foto: arquivo pessoal
Rinaldo 24 horas após a cirurgia, usando meia cirurgia para evitar risco de trombose - Foto: arquivo pessoal
24 horas após a cirurgia, Rinaldo usando meia cirurgia e escondendo a sonda de urina – Foto: arquivo pessoal
Rinaldo de Oliveira, fez a cirurgia de próstata no dia 19/10/2021 - Foto: SNB
Rinaldo de Oliveira comemora, 10 dias depois da cirurgia – Foto: SNB
Dr. Fernando Croitor, urologista da Clínica Miletto, em Brasília
Dr. Fernando Croitor, urologista da Clínica Miletto, que fez a cirurgia em Brasília – contato: 61-3447-4666