Dobrou o número de transplantes de órgãos no Brasil, mas 40 mil continuam na fila

-
Por Renata Giraldi
Imagem de capa para Dobrou o número de transplantes de órgãos no Brasil, mas 40 mil continuam na fila
Apesar do recorde de transplantes de órgãos em 2023, o Brasil tem mais de 40 mil pessoas na fila de doação. - Foto: reprodução / PortalHospitaisBrasil

Olha que notícia boa! Aumentou em 106%, mais do que dobrou o número de transplantes de órgãos no Brasil. Cresceu também o número de doadores. Até agora foram 2.435, enquanto em 2022, eram 2.310 no mesmo período. É recorde, mas precisa mais porque 40 mil pessoas ainda estão na fila da doação.

Para avançar, os centros transplantadores do Sistema Único de Saúde (SUS) vão receber um total de R$ 56 milhões extras para transplantes de órgãos e medula óssea. Os serviços credenciados aumentaram de 31 para 64.

Faustão e Marcos Frota são algumas das celebridades que fazem campanha pela doação de órgãos e medula óssea. Em um vídeo emocionante, Faustão, que recentemente recebeu um coração doado, reiterou: “Devemos nos unir, essa é uma luta pela vida”.

Emoção e razão

A doação de órgãos envolve muita emoção, mas também bastante razão. Em geral, a decisão pela doação envolve a dor da morte, no caso de doador morto, e a dúvida pelo sucesso da cirurgia, no caso do doador vivo. Não é fácil.

Porém, o desafio é justamente este: garantir vida para quem tem a doação como única ou última opção. Pensando nisso, foi realizada uma cerimônia emocionante em que pacientes que viveram situações envolvendo a doação de órgãos contaram suas histórias.

As autoridades do Ministério da Saúde aproveitaram a solenidade para anunciar os números recordes de doações e doadores, assim como o aumento de investimentos no Sistema Nacional e Transplantes (SNT).

No Brasil, mais de 40,3 mil pessoas aguardam a oportunidade de realizar um transplante de órgão. Uma pessoa pode ser potencialmente doadora de oito órgãos.

O secretário de Atenção Especializada à Saúde, Helvécio Magalhães, comemorou os avanços, mas insiste é preciso mais.

“Os dados deste ano mostram que, apesar de todas as dificuldades, é possível crescer o número de transplantes no Brasil”, disse.

Confira os dados sobre transplantes de órgãos no Brasil

Apenas em 2023, os números mostram o seguinte avanço:

  • Rim (3.930)
  • Fígado (1.574)
  • Coração (281)
  • Pâncreas e rim conjugados (58)
  • Pulmão (55)
  • Pâncreas (15)
  • Transplante multivisceral (1)
  • Córnea (10.575)
  • Medula óssea (1.972)

Serviços credenciados

No país, há 1.198 serviços credenciados para transplantes.

As autorizações de novos serviços estão em 19 estados e incluem:

  • 17 centros autorizados para transplante de medula óssea
  • 14 para córnea/esclera,
  • 10 para rim
  • 7 para fígado
  • 5 para procedimentos musculoesqueléticos
  • 2 centros para coração
  • 2 centros para pâncreas
  • 2 centros para rim/pâncreas conjugados
  • 2 centros para pele
  • 2 centros para valva cardíaca
  • 1 centro para transplante de pulmão

A ministra da Saúde, Nísia Trindade, ressaltou que o SUS é excelência em várias áreas e, uma delas, é o transplante de órgãos.

“Em muitos casos não é possível outro caminho a não ser o transplante, por isso reforço o nosso compromisso integral com a saúde”, disse.

A ministra destacou que todo o processo deve ser humanizado e sensível. “O transplante não é o fim de um processo, o medicamento que depois as pessoas precisam tomar também é parte do Sistema Único de Saúde. A humanização é nossa prioridade.”

O mês de setembro foi dedicado à campanha “Doe uma segunda chance, doe órgãos” em que foi reforçada a importância da conscientização sobre o ato de doar.

Leia mais notícia boa

Potenciais doadores

O Ministério da Saúde registrou, ao longo deste ano, aumento no número de potenciais doadores, com índice de 67,6 por milhão de pessoa, enquanto, em 2022, o número registrado foi de 62,6.

Para doação de órgãos, é necessário que o doador esclareça de forma explícita para a família a intenção.

A doação só é autorizada mediante aval da família.

Os órgãos doados vão para pacientes que necessitam de um transplante e estão aguardando em lista de espera.

O Ministério da Saúde informou que a lista para transplantes é única e vale tanto para pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) quanto para os da rede privada.

O sistema é auditável, sendo possível a apuração de qualquer atualização incorreta na lista de transplantes.

O Brasil como referência mundial

O Brasil tem o maior sistema público de transplantes do mundo.

Em números absolutos, é o segundo maior transplantador do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos.

A rede pública de saúde fornece aos pacientes assistência integral e gratuita, incluindo exames preparatórios, cirurgia, acompanhamento e medicamentos pós-transplante.

O Sistema Nacional de Transplantes é vinculado ao Ministério da Saúde, responsável pela regulamentação, controle e monitoramento do processo de doação e transplantes realizados no país.

40 mil pessoas na fila

E é preciso lembrar que, apesar do recorde em 2023, o Brasil tem mais de 40 mil pessoas na fila de doação de órgãos.

Avise a sua família que quer ser doador!

Veja a mensagem que Faustão gravou sobre quantas vidas um doador pode salvar: