59 anos do 1º implante coclear. Encontro de surdos emociona

1145
Foto: Cochlear Day
Foto: Cochlear Day

Por Rinaldo de Oliveira, da redação do SóNotíciaBoa, com colaboração de Dorotéia Fragata.

Há 59 anos os médicos franceses Andre Djourno e Charles Eyriès ativavam o primeiro aparelho de implante coclear do mundo.

Hoje o Brasil tem mais de 7 mil implantados.

Em São Paulo as comemorações do Dia Internacional do Implante Coclear (vídeo abaixo) começaram no sábado, dia 20 de fevereiro, com a confraternização de mais de 700 implantados vindos de toda a parte do Brasil, no Cochlear Day, que aconteceu no Parque Burle Marx.

E continuaram nesta quinta-feira, 25, com um festival de posts no Facebook com a gratidão de pais, familiares e implantados de todo o país.

“Foi uma festa linda e especial, a primeira realizada por uma empresa que fabrica implante coclear para todo o mundo e foi a pioneira do Brasil. Um carinho nosso para todos os implantados que conseguiram vir ao Parque Burle Marx, em um maravilhoso dia de sol, com brincadeiras e atrações para todos os pais, implantados, familiares e amigos que compareceram”, comentou Patricia Mastrorocco, a gerente de Marketing da Cochlear Americas, no dia do evento.

E quem foi, não reclamou de nada.

Deu para confraternizar com outros implantados de Norte ao Sul do Brasil, trocar experiências, assistir a vídeos sobre as novidades que estão chegando no país…

Houve até um grupo que cantou, separadamente, testando sua afinação tanto no violão quanto na voz.

“Isso tudo só é possível graças ao implante coclear que propicia audição a quem nasceu com surdez profunda, como foi o caso de minha filha Manuela ou de quem, por algum motivo, perdeu a audição no decorrer dos anos”, disse Cristiane Malheiros, mãe de uma duplinha do barulho – Manuela e Miguel.

Casos com final feliz

Manuela Malheiros – Fotos: arquivo pessoal

Nascida em 11 de setembro de 2003, em Taubaté, vinda de uma gravidez extremamente tranquila, a surdez profunda bilateral de Manuela Malheiros foi detectada aos dois meses de vida e os pais logo a levaram para o Centrinho de Bauru.

“Houve duas tentativas frustradas de realizar a cirurgia, porque ela ficou com gripe no dia. A cirurgia só foi realizada no dia 12 de novembro de 2.004 e, depois da ativação, começaram as boas surpresas da audição”, lembra a mãe.

A cirurgia foi feita pelo Dr. Orozimbo Costa, do Centrinho de Bauru.

A evolução dela agradava a todos. Manuela cresceu ativa e curiosa, questionando tudo. E os pais não mediram esforços para que ela tivesse tudo o que uma menina ouvinte tem. Foi fazer balé e logo em seguida, teatro.

“Na escola, Manuela tira notas ótimas e cuida do irmão caçula melhor do que eu. Chega até a dar comida na boca. Hoje, com 12 anos de idade, se apresentou na abertura do 30 EIA – Encontro Internacional de Audiologia – que aconteceu em Bauru, já biimplantada e agora está no sétimo ano do Ensino Fundamental e sonha em ser atriz em palcos, telinhas e telonas”, diz Cristiane.

Bruno - Foto: arquivo pessoal
Bruno Montagnana – Foto: arquivo pessoal

Bruno Montagnana é outra criança que encanta a todos. Inclusive o atual governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, na comemoração das mil cirurgias de implante coclear do HC-FMUSP – Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo – com um discurso tímido e engraçado.

“Sou chamada sempre na escola porque ele não para de falar com os amigos e com os professores. É um tagarela nato graças ao implante coclear. Fiz com a equipe do HC-FMUSP e até hoje só me surpreendo com tudo que ouço dele e com o universo de leitura que ele agrega em seu vocabulário”, diz Fabiana, sua mãe.

Paula - Foto: arquivo pessoal
Paula Pfeifer- Foto: arquivo pessoal

Paula Pfeifer Moreira nasceu com surdez profunda também. E foi oralizada, ou seja, aprendeu a se comunicar através de leitura labial. E todas as dificuldades pelas quais passou, foram colocadas no seu primeiro livro, Crônicas da Surdez.

A curiosidade em ouvir surgiu com a possibilidade de fazer a cirurgia de implante coclear. Gaúcha, residente em Santa Maria, Paula Pfeifer tornou-se conhecida através de um blog que tem o mesmo nome do seu livro e vários implantados entraram em contato com ela.

Sua cirurgia aconteceu em 2013, com a equipe do Dr. Luiz Lavinsky, em Porto Alegre.

“No início, antes da ativação, o zumbido que eu tinha aumentou bem. Mas quando ativei, tudo valeu a pena. Tanto que escrevi um novo livro, Novas Crônicas da Surdez – Epifanias do Implante Coclear e saí dando palestras pelo Brasil afora, além de participar de vários programas de TV e ter a minha história publicada em muitas revistas nacionais, além de ter encontrado o meu amor. Meu marido é otorrinolaringologista e cirurgião carioca, Dr. Luciano Moreira e, com ele, sou sócia da Sonora, clínica de diagnóstico, reabilitação auditiva e implante coclear”, diz a gaúcha com 34 anos de idade.

Informações sobre o implante coclear

Atualmente, no Brasil, há Centros de Implante Coclear em todo o país, mas os mais procurados ainda são o HC-FMUSP, o Centrinho de Bauru e o da Unicamp, em Campinas.

Rio de Janeiro e Curitiba também possuem equipes com mais de dez anos de experiência e todos são credenciados pelo SUS.

A cirurgia é feita em um dia e o paciente sai no outro. Mas os testes e a decisão das equipes multidisciplinares levam meses para fecharem o diagnóstico.

Há reabilitação auditiva pós-operatória e o tratamento completo é feito em parceria com a família do implantado, que será a grande incentivadora e quem o ajudará a colher os seus melhores resultados.

Atualmente, há aparelhos de implante coclear próprios para a natação e conectividade sem fio, que permitem que o implantado participe de esportes, reuniões de trabalho e tenha uma vida completamente normal.

Vídeo

Para comemorar o Dia Internacional do Implante Coclear,, a Cochlear preparou um presente especial para toda a Família Cochlear: um vídeo com os melhores momentos do Cochlear Day.

Da redação do SóNotíciaBoa