20 passos para ter barriga tanquinho até o verão

5379
Fotos: reprodução / Instagram|
Fotos: reprodução / Instagram|

Faltam 5 meses para o verão. Ainda dá tempo de realizar o sonho de ter a barriga tanquinho, sequinha, chapada, pra exibir nas praias e nas piscinas.

Pra isso é preciso saber o que comer – para emagrecer, e o que evitar – para não engordar.

Vamos reproduzir pra você a lista com os melhores truques para reduzir a gordura abdominal, publicada pela revista Vogue, com orientações da nutricionista funcional e wellness coach Karen Schlösser

Veja os 20 passos para a barriga tanquinho:

O que comer

1. Ênfase nas proteínas: Procure ter sempre proteína no café da manhã, almoço, jantar e lanches intermediários, combinando alimentos proteicos com carboidratos de qualidade. “Unir os dois tipos de nutrientes é indispensável”, conta a nutricionista.

2. Alimentos diuréticos: Aposte na erva doce, salsão, coentro, berinjela, endívias, alho, limão, noz-moscada, cebola, salsa, hortelã, abacaxi, melancia e maracujá.

3. Vitamina D: “Diferente do que se costuma dizer, a absorção de vitamina D possui diversas outras funções no organismo além do fortalecimento dos ossos e dentes”, explica a nutricionista. Ela reduz o inchaço e o apetite! Além de garantir pelo menos 15 minutos abaixo do sol por dia, invista em alimentos como peixes, ovos e leite, ricas fontes de vitamina D.

4. Carboidratos para investir: Alimentos integrais, frutas com casca, legumes crus e verduras; inhame, aipim, batata doce. “Sempre coloque uma fibra ou uma boa gordura por cima. É importante fazer combinações inteligentes”, conta a nutricionista.

5. Chá verde, preto, mate e café: Além de acelerarem o metabolismo e aumentarem a temperatura corporal, as xantinas (cafeína, teofilina e teobromina) presentes nestas bebidas aumentam a mobilização de gorduras estocadas. “Tomar uma xícara de chá de 30 a 40 minutos após almoço e jantar, com cuidado especial para não consumi-lo antes de dormir”, aconselha a dra.

6. Frutas vermelhas: Framboesa, amora, morango, cereja, jabuticaba, mirtilo, melancia e uva roxa são poderosas aliadas no combate à gordura localizada. Consuma de uma ou duas xícaras por dia.

7. Fibras Prebioticas: Aposte em alimentos como semente de linhaça, aveia, amaranto e chia. “Eles contêm bactérias que produzem um tipo de gordura, o CLA (ácido linoléico conjugado), que é capaz de reduzir o porcentual de gordura, além de equilibrar a flora intestinal”, conta a dra. Karen.

8. Peixes 3 x: “Peixes e frutos do mar, por serem ricos em ômega-3, um ácido graxo essencial, ajudam a desinflamar as células de gordura, atuando no controle do problema”, revela a nutricionista, aconselhando que sejam incluídos no cardápio pelo menos 3 vezes por semana.

9. Gorduras boas: Por acelerarem o metabolismo, o óleo de coco e óleo de gergelim são grandes aliados de quem quer secar a barriga, enquanto o azeite evita a formação de gorduras na região da cintura.

10. Coma abacate: “Apesar da alta concentração de calorias, elas provêm da gordura monoinsaturada, que ajuda a reduzir o pico de insulina, hormônio que desencadeia o armazenamento das calorias extras sob a forma de gordura localizada”, revela a dra. Karen. Ingira até três colheres de sopa em dias alternados. “Três vezes por semana é o ideal”, aconselha.

Prato perfeito: proteína, verduras, legumes e carboidratos de qualidade - Foto: Instagram @gkstories / Reprodução
Prato perfeito: proteína, verduras, legumes e carboidratos de qualidade – Foto: Instagram @gkstories / Reprodução

O que evitar

1. Evite adoçantes: Fuja de todos os tipos de açúcar falsos – sacarina, aspartame, ciclamato, acessulfame. “O organismo não distingue o açúcar do adoçante e isso pode estimular a produção desnecessária de insulina’, alerta a nutricionista.

2. Nada de bebidas durante as refeições: Procure ingerir líquidos apenas 30 minutos antes e após as refeições, tentando consumir de um a três limões todos os dias. “Esprema a fruta sobre saladas, na água, etc. Ele ajuda a regenerar e limpar o seu fígado, beneficiando a queima de gordura”, aconselha a Dra. Karen.

3. Xô jejum: Se quiser secar a barriga, não fique muitas horas sem comer. “O corpo tenta reequilibrar esta falta de energia estocando a gordura com mais facilidade”, alerta a dra. Quando há esse desequilíbrio, a pessoa tem vontade de comer carboidrato, que é o que mais vai estragar o resultado.

4. Alga sim, sushi não: “Algas têm poderes restauradores, são desintoxicantes, fornecem proteínas e vitaminas, além de terem poder no emagrecimento”, conta a dra Karen. Para consumir, basta colocar algas como a koubo ou wakami na água do cozimento da comida, por exemplo, junto do arroz integral, sopas, vegetais ou na água do cozimento da quinoa.

5. Adeus doces: É triste, mas é fato – aquele brigadeiro e aquela barra de chocolate afetarão diretamente na gordurinha abdominal.

6. Carboidratos para evitar: “Quanto mais carboidrato a pessoa comer e quanto mais simples ele for, maior será o depósito de gordura na barriga”, conta a dra. Karen. Pão branco, batata inglesa, macarrão, cereal matinal à base de milho, granola com açúcar, sobremesa e bebida alcoólica.

7. Cuidado com a tapioca: será que vale a pena substituir o pão pela tapioca? “O problema da tapioca é o elevado índice glicêmico, de 115, maior que o do pão branco (100), e que o da mandioca (57),”, revela a nutricionista funcional. Por isso, se for optar pela tapioca, sempre use alimentos com proteínas, gorduras e fibras no recheio.

8. Xô industrializado: Pode esquecer a bolacha, o refrigerante, o macarrão pronto e os embutidos. “Substâncias químicas presentes nestes alimentos sobrecarregam o fígado e a vesícula, e isso aumenta as chances de armazenar gordura no abdômen”, revela Karen.

9. Carboidratos à noite?: “Pode sim consumir carboidrato à noite, em pequena quantidade e obrigatoriamente rico em fibras. Nada refinado!”, alerta a dra. Karen. “Se uma pessoa sai do seu trabalho e vai para academia à noite, quando retorna, tem todo direito e dever de consumir carboidratos”, explica a nutricionista, ressaltando que a quantidade de carbo deve ser reduzida após o entardecer se você não praticar atividades físicas no fim do dia.

10. Leites e derivados, cuidado! “Evite todos os laticínios”, declara a nutricionista. “São alimentos difíceis para o nosso sistema digestivo e costumam formar muito muco em nosso organismo. Com isto, nos sentimos inchados, formando mais acúmulo de gordura na barriga”, conta. Substitua-os por leite de cereais (quinoa, arroz); leite de sementes (gergelim, girassol); leite de oleaginosas (amêndoas, castanha-do-pará); extrato de soja.

Ah, também tem que malhar, ein!

Abdominais já, para ressaltar os gominhos…

Com informações da Vogue