Amazônia tem mais 381 novas espécies, aponta WWF

1055
Zogue Zogue Rabo de Fogo Foto: Adriano Gambarini -WWF|Foto: WWF|Foto: José Luis Brindelli|
Zogue Zogue Rabo de Fogo Foto: Adriano Gambarini -WWF|Foto: WWF|Foto: José Luis Brindelli|

Uma boa notícia sobre a preservação animal. A WWF-Brasil e o Instituto Mamirauá divulgaram que foram encontradas 381 novas espécies na região da Amazônia.

Os dados estão no relatório “Atualização e Composição da lista Novas espécies de Vertebrados e Plantas na Amazônia (2014-2015)”.

De acordo com as instituições, o número representa a descoberta de uma nova espécie a cada dois dias.

São 216 são plantas, 93 peixes, 32 anfíbios, 19 répteis, uma ave, 18 mamíferos e dois mamíferos fósseis.

Entre as novas espécies estão a arraia doce, o acari de bola branca, o poiaeiro de Chico Mendes e o zogue zogue rabo de fogo.

Veja:

Arraia Doce

Foto: WWF
Foto: WWF

Foi encontrada em Rondônia, arraia de água doce possui pigmentação acastanhada, com manchas que lembram favos de mel. De acordo com pesquisadores, os maiores indivíduos da espécie medem aproximadamente 65 centímetros.

Acari de bola branca

Foto: José Luis Brindelli
Foto: José Luis Brindelli

O peixe ornamental se alimenta de algas e é encontrado em locais de de fortes correntes sujeitas à formação de remansos. Segundo pesquisadores, a construção da hidrelétrica de Belo Monte pode trazer riscos à espécie, tornando-a ameaçada de extinção. O nome zuanoni é uma homenagem à Jansen Zuanon, ictiólogo que contribuiu com a ictiofauna (conjunto de peixes) neotropical.

Poiaeiro de Chico Mendes 

Foto: Fabio Shunck
Foto: Fabio Shunck

A ave recebeu a nomeação em homenagem à Chico Mendes, famoso ambientalista brasileiro. O pássaro habita, principalmente, a Floresta Nacional de Humaitá, no Amazonas, por gostar de regiões arenosas, pouco drenadas, com áreas de campina, e gramíneas. O poiaeiro se alimenta de insetos e frutas.

A ave de bico pontudo e forte habita florestas de terras firmas e secundárias maduras, com árvores de mais de 15 metros de altura. O pássaro pode voar de três a oito metros para capturar presas, que podem ser ortópteros, lagartas e artrópodes. O nome científico do animal é inspirado em Barack Obama, ex-presidente dos Estados Unidos.

Zogue Zogue Rabo de Fogo (foto de capa)

O primata recebeu o nome científico em homenagem ao cientista Milton Thiago de Mello, que trabalhou pelo desenvolvimento da primatologia. Já o termo popular ‘rabo-de-fogo’ é graças à calda vermelha do animal. O zogue-zogue é difícil de ser observado, sendo que ele geralmente aparece pelas manhãs. Segundo pesquisadores, o desmatamento é a principal ameaça de extinção do primata. Ele pode ser encontrado em Mato Grosso, Amazonas e Rondônia.

Com informações da Revista Galileu.