Cão que salvou menino em estado grave concorre a prêmio

Foto: Lyndsey UglowFoto: Lyndsey Uglow

Um garotinho de 3 anos, que estava em estado grave devido a um tumor cerebral, se recuperou após uma terapia com um cão. Agora, Leo, o Golden Retriever, concorre ao um prêmio no Reino Unido.

O caso de Oscar Haskell é considerado um milagre até pelos médicos. Ele estava em terapia intensiva no Hospital Infantil de Southampton com uma condição cerebral rara quando sua frequência cardíaca disparou. 

A mãe dele afirma que os batimentos cardíacos de Oscar se estabilizaram quando os médicos trouxeram o cão de terapia Leo, que ajuda na recuperação de pacientes.

Graças ao cão, Oscar, hoje com 7 anos, pode voltar à escola e ter uma vida saudável.

Desenganado

Em 2016, os médicos comunicaram a mãe de Oscar, Zoe Relph, que se preparasse para o pior, porque o filho dela e não estava mais “respondendo”.

“Ele não estava respondendo e seu batimento cardíaco nas alturas. Ele tinha 26 tubos, seis sondas cerebrais perfuradas no crânio e ele tinha máquinas para mantê-lo vivo. Não esperávamos que ele conseguisse”, diz Zoe, que além de Oscar tem mais dois filhos.

Mas os médicos tentaram um outra alternativa, com o Golden Retriever.

“Os médicos perguntaram se estaríamos interessados em conhecer um cão de terapia”, lembra Zoe.

Ela foi aconselhada a conversar com o filho para que ele pudesse ouvir a voz dela.

“Prometi a ele que, se ele melhorasse, eu lhe daria um cachorro. Era tudo o que eu dizia repetidamente”.

Pata mágica

A treinadora do cãozinho Leo, Lyndsey Uglow, colocou um tapete sobre Oscar para proteger seus tubos e colocou a pata de Leo na mão de dele.

“Foi então que a frequência cardíaca dele se estabilizou”, lembra Zoe.

“Foi fantástico. Os médicos da UTI consideraram que foi um milagre. Ele não mexia mais o rosto e não só mexeu, como sorriu”, comemorou a mãe.

Recuperação e amizade

Desde que conheceu Leo, Oscar melhorou diariamente e os dois construíram um relacionamento especial.

Zoe que é de Elmer Sands, West Sussex, no Reino Unido, acredita que seu filho, não teria sobrevivido sem o cão.

“Eu realmente acho que se não fosse por Leo, Oscar teria morrido.

“Esses cães de terapia devem ser usados em todo o país”, disse a mãe.

Leo e o prêmio

Leo é um dos seis cães de terapia no Hospital Infantil de Southampton que já ajudaram 10 mil crianças.

A equipe de cães de terapia SCH, sob a liderança de Lyndsey e Leo, fornece intervenção assistida por animais, incluindo terapia intensiva pediátrica, oncologia, cardiologia, ortopedia, enfermarias renais e cirúrgicas.

Leo e a equipe de cães terapeutas estão concorrendo aos prêmios Friends for Life no Crufts 2020,  na NEC de Birmingham.

A treinadora Lyndsey já testemunhou crianças acordando da sedação só por causa da presença dos cães.

Eles escoltam as crianças ao teatro para aliviar a ansiedade, distraem as pessoas submetidas a procedimentos e cumprimentam crianças e famílias no hospital.

Os animais incríveis também fornecem apoio aos funcionários.

“O que Leo adora é conhecer um paciente. Eu não sabia nada sobre o diagnóstico ou condição de Oscar.

“Se pudermos dar a eles um pouco de magia para se agarrar, isso é realmente ótimo. Esse sorriso significou muito para todos. A ideia do processo e manter a criança focada non pensamento positivo. Somos a ponte entre a equipe de saúde e a criança”, comemora Lindsey.

Zoe Relph e seu filho Oscar Foto: Arquivo Pessoal

Zoe Relph e seu filho Oscar Foto: Arquivo Pessoal

Leo (Golden Retriever) e Lyndsey Uglow, a treinadora Foto: Divulgação

Leo (Golden Retriever) e Lyndsey Uglow, a treinadora Foto: Divulgação

Oscar e Leo Foto: Arquivo Pessoal

Oscar e Leo Foto: Arquivo Pessoal

Com informações do Mirror

Espalhe notícia boa nas suas redes sociais. Siga o SNB no:

O conteúdo do SóNotíciaBoa é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.