Canadá não cobrará água e luz e Reino Unido pagará 80% dos salários

Boris Johnson - Foto: PRESS Association
Boris Johnson - Foto: PRESS Association

O Reino Unido anunciou que o Estado vai pagar até 80% dos salários dos empregados afetados pela quarentena imposta pela pandemia dos coronavírus.

A medida faz parte de um pacote do governo para impedir que a doença devaste a economia britânica, após o primeiro-ministro Boris Johnson ordenar o fechamento de todos os bares, cafés, restaurantes, teatros, cinemas, clubes noturnos, academias de ginástica e centros de lazer.

As medidas incluem também o adiamento de pagamentos de imposto de empresas até o final de junho, valor que chega a 30 bilhões de libras (R$ 174 bilhões) desempregados.

O pacote é “um dos mais abrangentes do mundo”, disse Rishi Sunak, chanceler do Tesouro.

O valor

Ele afirmou que o governo entraria em ação para cobrir o custo de 80% dos salários dos trabalhadores, ou até 2.500 de libras (R$ 14.500) por mês, para qualquer empregado que fosse licenciado e não demitido.

Rishi Sunak chamou as medidas de “inéditas na história do Estado britânico”.

Ele afirmou que o governo vai apoiar “tantos empregos quantos forem necessários”.

Canadá

Já o Prefeito de Calgary, no Canadá, Naheed Nenshi, anunciou que vai adiar o pagamento das contas de serviços públicos, como agua, luz lixo e esgoto por causa dos impactos econômicos do COVID-19.

Ele disse ao Global News Morning que o adiamento pode durar três meses.

“Ontem, anunciamos à província que aqueles que não puderem pagar suas contas de gás e eletricidade pelos próximos três meses podem adiar essas contas “.

“Hoje de manhã … a cidade anunciará o mesmo para suas contas de água , esgoto, esgoto, lixo e reciclagem .

“Você terá a opção de não pagar essas contas por três meses, sem multas, sem juros – e apenas proporcionalizaremos esses valores nas últimas seis contas do ano”, afirmou.

Brasil

No Brasil, o governo anunciou que vai complementar parte do salário dos trabalhadores que tiverem salários cortados durante o período de crise.

A regra valerá apenas para pessoas que recebem até dois salários mínimos e tiverem jornada e remuneração reduzidas, conforme autorização do governo.

Elas receberão uma antecipação de 25% do que teriam direito mensalmente, caso solicitassem o seguro-desemprego.

O valor ficará entre R$ 261,25 e R$ 381,22, dependendo do salário do trabalhador, informou o Ministério da Economia.

Com informações de GlobalNews, CNN, CNBC e OGlobo