Vacina dos EUA produziu anticorpos em humanos: covid

Foto: CDC/Unsplash
Foto: CDC/Unsplash

Aconteceu o que os cientistas esperavam. A primeira vacina dos EUA, testada em humanos em março, como mostrou o SóNotíciaBoa, produziu anticorpos contra a covid-19.

Esses anticorpos neutralizadores produzidos são semelhantes aos encontrados em pacientes que se recuperaram do novo coronavírus, ou seja, os testes mostraram que a vacina é capaz de neutralizar o novo coronavírus.

A informação foi dada nesta segunda, 18, pela empresa de biotecnologia norte-americana Moderna, que chamou os resultados de promissores.

Todos os 45 participantes do estudo receberam três doses diferentes da vacina, e a Moderna revelou que viu neles um aumento na imunogenicidade, que é a capacidade de provocar uma reação imune no corpo.

Segunda etapa

A segunda fase da pesquisa, começará em breve e será feita com 600 voluntários.

A previsão do laboratório é, depois disso, na terceira fase, que deve começar em julho, milhares de pessoas receberão as doses da vacina.

Se tudo der certo, como se encaminha, o diretor médico da Moderna, Tal Zaks, acredita que a vacina contra o coronavírus estará disponível para uso comercial ainda no segundo semestre deste ano, ou no mais tardar, no início de 2021.

Efeitos colaterais fracos

Também se descobriu que a vacina mRNA-1273 foi segura e bem tolerada no estudo de estágio inicial, disse a empresa.

Um participante do teste teve vermelhidão no local da injeção, o que foi caracterizado como um efeito de “grau 3”. Não foi relatado nenhum efeito colateral grave, informou a Moderna.

Corrida para produzir

A vacina da empresa recebeu na semana passada o selo de “aprovação rápida” da FDA, agência de saúde dos Estados Unidos, para que a revisão regulatória seja acelerada.

A empresa assinou contratos com a farmacêutica suíça Lonza Group AG e com o governo dos EUA para produzir a vacina em grande quantidade.

“Estamos investindo para intensificar a fabricação para que possamos maximizar o número de doses que conseguimos produzir, para ajudar a proteger tantas pessoas quanto pudermos da SARS-CoV-2”, disse o executivo-chefe da Moderna, Stéphane Bancel.

Depois da notícia de hoje, as ações da empresa tiveram alta de 25% no mercado financeiro.

Com informações da CNN e Metrópoles