Israel comemora 1º dia sem mortes pela pandemia em 10 meses

Economia de Israel é parcialmente reaberta após 50% da população vacinada - Foto: Getty Images
Economia de Israel é parcialmente reaberta após 50% da população vacinada - Foto: Getty Images

A vacinação deu certo! Israel comemorou o primeiro dia sem mortes provocadas pela pandemia nos últimos 10 meses e a economia do país, que foi parcialmente reaberta, agradece!

“Esta é uma grande conquista para o sistema de saúde e os cidadãos israelenses. Juntos, estamos erradicando o coronavírus”, tuitou o ministro da Saúde, Yuli Edelstein, na sexta-feira, 23.

A conquista foi registrada após 10 meses de alta nos casos.

Desde março, a economia voltou a funcionar, com abertura de restaurantes, bares e cafés para portadores do chamado “passe-verde”, que já tomaram as duas doses da vacina.

Como

A queda em casos de Covid-19 deve-se à rápida vacinação no país e a medidas intensas de lockdown.

A última vez que o país relatou zero mortes pelo coronavírus foi no final de junho de 2020, depois que outro lockdown conteve o avanço da primeira onda de infecções.

A Covid-19 recuou após atingir seu pico em janeiro deste ano.

O governo de Israel começou a flexibilizar as restrições do lockdown um mês depois, à medida que a vacinação avançava de forma rápida.

Sucesso na vacinação

Israel tem a maior taxa de vacinação do mundo. O país está se preparando para começar a vacinar crianças de 12 a 15 anos assim que órgãos reguladores aprovarem o uso da vacina para pessoas nessa faixa etária.

Na última quinta-feira (22/4), o país atingiu 5 milhões de pessoas vacinadas com as duas doses, o correspondente a 52% dos 9 milhões de habitantes israelenses.

Brasil

Até agora o Brasil vacinou 13,5 % de seus 212 milhões de habitantes, ou seja, 28,7 milhões de pessoas receberam pelo menos uma dose de vacina contra Covid, de acordo consórcio de veículos de imprensa.

A segunda dose já foi aplicada em 12,2 milhões pessoas, o que representa 5,79% da população brasileira.

Israel usa apenas a vacina desenvolvida pela Pfizer e BioNTech.

Em fevereiro, o ministério da Saúde israelense informou que o risco de doenças causadas pelo vírus caiu 95,8% entre as pessoas que receberam as duas doses dessa vacina.

Com informações do Metrópoles