Quer mais notícia boa na mídia? Assine esse movimento e compartilhe!

900
Assistindo TV - Foto: Pixabay
Assistindo TV - Foto: Pixabay

Você também está cansado de tanta notícia ruim na mídia brasileira? – Hoje, praticamente 80% das notícias nos telejornais no Brasil são sobre violência, tragédias e corrupção.

Mas com 20 mil assinaturas a gente pode começar a mudar isso. O perfil Paz na Mídia abriu no site do Senado um movimento popular chamado “Ideia Legislativa”.

Quando essas 20 mil assinaturas eletrônicas forem colhidas, os senadores brasileiros terão que discutir a ideia de aumentar a quantidade de notícia boa na mídia brasileira.

Como participar

Para participar é simples. Basta você entrar neste link e clicar em apoiar a “Ideia Legislativa”.

Faça isso e depois compartilhe esta notícia com os seus amigos, para que eles também entrem lá e assinem.

A ideia

Com a petição, que tem apoio do Só Notícia Boa, o Paz na Mídia pretende equalizar o noticiário, aumentando a quantidade de notícia boa nos telejornais brasileiros e reduzindo a participação de cenas violentas e negativas.

“Violência na mídia gera violência. Está provado por centenas de estudos. E o excesso de negatividade também gera problemas mentais e até políticos”, disse Roger Ferreira, do Paz na Mídia, em entrevista ao Só Notícia Boa.

“O objetivo maior é gerar o debate de que o positivo também é notícia […] Nós jornalistas temos um viés de achar que só o negativo é notícia e isso está errado. Precisa mudar”, afirmou

Análise do noticiário

O Paz Na Mídia analisa desde 2013 os quatro principais telejornais do Brasil (Jornal Nacional, Jornal da Record, Jornal da Band e Jornal do SBT).

Com mais de 170 mil notícias cadastradas, identificou que 54% do tempo foi dedicado a assuntos negativos e 17% a cenas de violência. No total, 71% de negatividade, enquanto 18% foi dedicado a fatos positivos e 11% a relatos neutros.

“A conclusão de quem consome o noticiário é que vivemos tempos sombrios.[…] E as consequências chegam à esfera social e política. O cenário mostrado na mídia leva à prostração ou ao radicalismo, pois se tudo está tão ruim a única solução é mudar tudo. É como se as más notícias preparassem o terreno as propostas radicais. Sim, a mídia cria condições para o sucesso de propostas autoritárias – mesmo falando que as combate”, afirma o Paz na Mídia.

“Como comparou o pesquisador Craig Andersen, assim como há 50 anos era necessário convencer que o cigarro causava câncer, agora precisamos evitar que a mídia violenta e negativa cause mais violência e problemas mentais, sociais e até políticos”, lembrou Roger.

Em um “artigo-síntese (metanálise) publicado na revista Science, uma das mais respeitadas publicações científicas do mundo, pelos professores Craig Anderson e Brad J. Bushman […] foi comprovada a correlação entre a exposição a conteúdos violentos e o comportamento agressivo […] Numa tradução simples, pode-se dizer que entre duas a três, a cada grupo de pessoas, manifestaram comportamento violento após consumirem conteúdos violentos de mídia”, concluiu o Paz na Mídia.

Assine aqui a “Ideia Legislativa”.

Foto: reprodução / Paz na Mídia
Foto: reprodução / Paz na Mídia

Por Rinaldo de Oliveira, da redação do Só Notícia Boa