Homem cria máquina de lavar à manivela e doa a refugiados

2328
As máquinas são criadas no Reino Unido e enviadas para pessoas sem acesso a eletricidade e água Foto: SWNS
As máquinas são criadas no Reino Unido e enviadas para pessoas sem acesso a eletricidade e água Foto: SWNS

Um inventor indiano criou uma máquina de lavar à manivela e viajou até o Iraque para doar o equipamento de baixo custo aos refugiados.

Navjot Sawhney é egenheiro e criou a ‘Divya’ justamente para que pessoas que vivem na pobreza possam lavar suas roupas com mais facilidade.

As máquinas são produzidas no Reino Unido e enviadas a pessoas sem acesso a eletricidade e água, que de outra forma precisariam lavar roupas à mão.

Estima-se que cerca de 70 por cento da população mundial não têm acesso a máquinas de lavar elétricas.

Dignidade 

Ex-aluno da Bath University, na Inglaterra, Navjot conta que a viagem de duas semanas ao norte do Iraque para entregar as máquinas triste, mas ao mesmo tempo, compensadora.

“Dar a eles a dignidade de roupas limpas é muito gratificante”, disse.

“Algumas dessas famílias ainda têm familiares desaparecidos, algumas dessas mulheres sofreram grandes traumas e abusos. É uma coisa realmente dolorosa. Ter o Divya significa para elas, descansar.”

Inspiração

A inspiração de Navjot veio da batalha diárias de seus conterrâneos na Índia. Ele começou a observar a rotina árdua, depois de deixar seu emprego de engenheiro em Wiltshire.

“Quando você lê as notícias, lugares como este podem parecer realmente assustadores, mas as pessoas aqui são como todas as outras no mundo”, disse ele.

“Elas só querem que suas vidas voltem ao normal. Esta é a minha terceira viagem ao Iraque e cada vez que venho é única e aprendo muito. Todas as vezes lembro da dignidade e do orgulho que as pessoas em ter roupas limpas”, afirmou.

Ampliar o negócio

O engenheiro montou o Projeto Máquina de Lavar em 2018 e agora ele tem pedidos de 15 países ao redor do mundo.

Hoje, ele está trabalhando para lançar o dispositivo em Uganda, Índia, Líbano e Jordânia.

“Estamos muito orgulhosos de estar aqui para fazer a nossa parte.”

Com informações do GNN