Ômicron faz SP reduzir intervalo para dose de reforço da vacina

526
Por causa da chegada da variante Ômicron, SP reduziu o intervalo entre a segunda e a terceira doses da vacina contra a Covid-19 de cinco para quatro meses - Foto: Rovena Rosa / Agência Brasil
Por causa da chegada da variante Ômicron, SP reduziu o intervalo entre a segunda e a terceira doses da vacina contra a Covid-19 de cinco para quatro meses - Foto: Rovena Rosa / Agência Brasil

Após registrar três casos da variante Ômicron, o estado de São Paulo agiu rápido e reduziu o intervalo para a dose de reforço da vacina contra a Covid-19.

O intervalo caiu de cinco para quatro meses para quem vai tomar a dose adicional, ou seja, entre a segunda e a terceira doses.

A medida entrou em vigor nesta sexta-feira (3). Todos com mais de 18 anos que tomaram duas doses da Coronavac, Pfizer e AstraZeneca no estado há 4 meses estão aptos a partir de hoje a receber a dose de reforço mais cedo.

A medida anunciada na quinta-feira (2) pelo governo estadual deve beneficiar pelo menos 10 milhões de pessoas que se vacinaram nos meses de julho e agosto.

Variante Ômicron no Brasil

O Ministério da Saúde confirmou nesta quinta-feira (2) cinco casos da variante Ômicron no Brasil – três em São Paulo e dois no Distrito Federal.

São quatro homens e uma mulher, todos vacinados contra a covid-19. Eles estão isolados e pelo menos um apresenta sintomas leves. A maioria está assintomática.

Ainda há oito casos da variante em investigação no país, sendo um em Minas Gerais, um no Rio de Janeiro e seis no Distrito Federal.

Nesta semana, SP confirmou três casos da variante Ômicron, que também já havia sido diagnosticada em diversos países, podendo impactar no cenário epidemiológico mundial.

Por ser porta de entrada, via portos e aeroportos, de pessoas de todo o mundo – e o Brasil ainda não tem a obrigatoriedade da apresentação de comprovante de esquema vacinal completo para os viajantes – o governo de São Paulo tomou a atitude de adiantar a vacinação de reforço.

Ômicron na capital paulista

A prefeitura de São Paulo também decidiu aplicar mais uma dose da vacina naqueles que receberam a vacina da Janssen após a descoberta de uma nova variante do Coronavírus, Ômicron, já circulando na capital.

As pessoas que receberam a vacina de dose única, da Janssen, recebem uma dose adicional a Pfizer.

O reforço é aplicado com intervalo mínimo de dois meses.

Vale lembrar também que a capital paulista continua com a imunização da primeira e segunda doses para os maiores de 18 anos e os adolescentes de 12 a 17 anos.

Postos de vacinação

A primeira dose, a segunda e a adicional são oferecidas das 8h às 17h nos megapostos, drive-thrus e farmácias parceiras e das 7h às 19h em UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e AMAs/UBSs Integradas.

O site De Olho na Fila ajuda a evitar aglomerações ao exibir a movimentação de pessoas nas unidades. A ferramenta também informa quais vacinas estão disponíveis para a aplicação da segunda dose.

Além disso, fazer o preenchimento do pré-cadastro no site Vacina Já agiliza o tempo de atendimento no posto de vacinação.

Máscaras continuam

O governador de São Paulo, João Doria, determinou nesta quinta-feira (2) que uso de máscaras em ambientes abertos será mantido, devido às incertezas sobre o impacto do surgimento da variante Ômicron.

Anteriormente, havia sido anunciada a flexibilização da medida a partir do próximo dia 11.
A recomendação foi feita pelo Comitê Científico, que mencionou os riscos das aglomerações em festas de Natal e Réveillon.

Com informações do R7 e AgênciaBrasil