Casca de banana limpa água contaminada com metais pesados

Pesquisadores da Universidade de Aveiro - Foto: reprodução / Jornal de Negócios
Pesquisadores da Universidade de Aveiro - Foto: reprodução / Jornal de Negócios

Quem iria imaginar que a casca de banana consegue remover metais pesados de água contaminada? Mais que isso: ela é altamente eficiente nesse processo de despoluição.

Foi o que descobriram pesquisadores da Universidade de Aveiro, em Portugal. De acordo com eles, no caso do mercúrio, as cascas são “as campeãs da limpeza”.

É que além de serem formadas por celulose, lenhina e hemicelulose, “elas são ricas em enxofre e o mercúrio tem elevada afinidade por esse elemento”, explica a pesquisadora Elaine Fabre, em comunicado.

A descoberta, publicada na revista “Science of the Total Environment”, mostra que, para tratar 100 litros de água contaminada com 0,05 miligramas de mercúrio seriam necessários apenas 291 gramas de cascas de bananas.

A limpeza da água acontece por absorção.

“Através de processos de absorção, que envolvem a retenção de um composto de uma fase fluída na superfície de um sólido”.

Testes

“Testadas em diversos sistemas reais, com água da torneira, água do mar ou água de efluentes industriais, e na presença de elementos como metais pesados, “em todos os casos as cascas mostraram-se eficazes”, garante a Universidade.

“Os resultados mostram um potencial muito promissor na aplicação das cascas em sistemas reais”, aposta Elaine Fabre, investigadora do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM).

Como

E como aplicar cascas de banana para remoção de mercúrio?

Os cientistas de Aveiro afirmam que basta colocar as cascas em contato com a água contaminada por um determinado período de tempo.

Uma descontaminação que pode ser feita em qualquer lugar.

“Pode ser realizada em estações de tratamento de águas residuais, em efluentes industriais, ou mesmo em qualquer outro sistema que contenha águas contaminadas”, ensina o comunicado.

Com informações do JornalDeNegócios

Espalhe notícia boa nas suas redes sociais. Siga o SNB no: