Rússia aprova remédio antiviral “mais promissor”contra covid

Foto: Andrey Rudakov / Bloomberg
Foto: Andrey Rudakov / Bloomberg

A Rússia saiu na frente. Enquanto o mundo corre atrás de uma vacina, o Ministério da Saúde russo anunciou o registro do primeiro remédio antiviral “promissor” para combater ao coronavírus.

O nome dele é afivavir e, de acordo com os cientistas, apresentou grande eficácia durante ensaios clínicos para afetar os mecanismos de reprodução do coronavírus, informou o Frid – Fundo de Investimento Direto da Rússia.

A notícia, divulgada neste domingo, 31, pela Bloomberg, diz que o Avifavir foi desenvolvido pelo Russian Direct Investment Fund e o ChemRar Group. O remédio é uma versão genérica de um outro medicamento usado no Japão contra a gripe, o Avigan.

“O avifavir não é apenas o primeiro medicamento antiviral registrado contra o coronavírus na Rússia, mas também é talvez o medicamento antiCovid-19 mais promissor do mundo”, disse Kirill Dmitriev, CEO do Russian Direct Investment Fund, em comunicado.

Tempo recorde

Kiril Dmítriev afirmou que o medicamento foi desenvolvido e testado clinicamente “em tempo recorde”.

“Foi desenvolvido e testado em ensaios clínicos na Rússia em um período de tempo sem precedentes, permitindo que o Avifavir se tornasse o primeiro medicamento registrado com base no Favipiravir no mundo”.

O Frid indicou que inicialmente o antiviral não estará à venda em farmácias. Por enquanto, ele “será usado apenas em hospitais sob observação médica”.

Contraindicações

O fundo informou que o medicamento é “categoricamente contra-indicado” para mulheres grávidas e pessoas em processo de planejamento familiar.

Cientistas da Rússia, a exemplo de outros países, correm contra o tempo para encontrar um remédio para conter a pandemia e evitar mais mortes.

Ranking mundial

A Rússia é o terceiro país do mundo em casos de Covid, mais de 400 mil casos de covid-19 e 4.693 mortes, até este domingo, 31.

O país só perde para os Estados Unidos – que aparecem em primeiro no ranking, com 1,7 milhão de casos – e para o Brasil – que agora é o segundo país do mundo, com 498 mil pessoas infectadas pela doença e 28 mil mortes.

Aliás, o Brasil já subiu para o quarto país em numero de mortos pela covid no mundo, de acordo com o levantamento online da Universidade Johns Hopkins. (veja abaixo)

A Organização Mundial da Saúde ainda não reconhece nenhuma droga, oficialmente, como totalmente eficaz ao combate à covid-19.

Foto: Universidade Johns Hopkins

Por Rinaldo de Oliveira, da redação do SóNotíciaBoa – com informações da Bloomberg e UJH