Começam testes em SP com vacina de Oxford contra covid

Paciente começa a ser testado com vacina de Oxford Foto: University of Oxford
Paciente começa a ser testado com vacina de Oxford Foto: University of Oxford

A Fundação Lemann e a Universidade Federal de São Paulo – Unifesp – confirmaram nesta segunda, 22, o início dos testes da vacina ChAdOx1 nCoV-19, em São Paulo.

A vacina é desenvolvida pela Universidade de Oxford, no Reino Unido.

De acordo com o Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais – CRIE – da Unifesp, que coordena a aplicação da vacina em São Paulo, os testes começaram na última sexta-feira, 19 e prosseguem.

A vacina é uma das 13 em todo o mundo, que já estão em fase de testes em humanos.

Profissionais de saúde

Pelo menos 2 mil profissionais de saúde vão testar a vacina em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Em São Paulo, os testes contaram com a viabilização financeira da Fundação Lemann no custeio da infraestrutura médica e equipamentos necessários.

“Há um caminho importante a ser percorrido agora pelos especialistas, antes de podermos celebrar bons resultados. O que virá depois, ainda não sabemos.

Enquanto isso, o foco da Fundação Lemann está em acompanhar a iniciativa.

Há muitas pessoas e organizações trabalhando colaborativamente para o sucesso e, junto delas, esperamos dar nossa contribuição para que a pandemia seja superada”, diz o comunicado da Fundação.

No Rio de Janeiro, os testes em mil voluntários serão feitos pela Rede D’Or São Luiz, com R$ 5 milhões bancados pela própria Rede, e sob coordenação do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (Idor).

São recrutadas pessoas da linha de frente do combate à Covid-19, em situação de maior exposição à contaminação. Eles precisam ser soronegativos, ou seja, que não contraíram a doença anteriormente.

Aplicações

Segundo a assessoria da Fundação Lemann, a primeira fase da pesquisa, iniciada sexta e segunda, é a fase de triagem dos testes sorológicos nos voluntários, feitos pelo laboratório Fleury.

As aplicações da vacina em si, segundo a entidade, devem começar entre esta terça-feira, 23 e quarta-feira, 24.

Informações da Universidade de Oxford apontam que pelo menos 5 mil profissionais da saúde participarão das testagens no Rio de Janeiro, São Paulo e na região Nordeste.

Do total de voluntários da área da saúde, 2.000 serão vacinados em São Paulo, 1.500 no Rio de Janeiro e 1.500 na região Nordeste, possivelmente na cidade de Salvador, na Bahia.

Ao todo, 50 mil pessoas serão testadas em todo o planeta, sendo 30 mil nos Estados Unidos e outras em países da África e Ásia.

No Brasil, pelo menos 5 mil voluntários entre 18 e 55 anos serão vacinados. A ideia é anunciar os resultados até setembro e, se tudo correr bem, entregar as vacinas já em outubro.

Com informações Pleno News e Fundação Lemann e G1