Cientistas testam ‘pílula da juventude’ com sucesso em camundongos

2713
A injeção de um extrato de semente de uva em roedores idosos aumentou seu tempo restante em mais de 60 por cento Foto: reprodução
A injeção de um extrato de semente de uva em roedores idosos aumentou seu tempo restante em mais de 60 por cento Foto: reprodução

A pílula da juventude está mais próxima de se tornar realidade, depois que cientistas conseguiram estender a longevidade em camundongos.

A injeção de um extrato de semente de uva em roedores idosos aumentou o tempo restante de vida deles em mais de 60%.

A pílula da juventude criada por pesquisadores chineses também aumentou a expectativa de vida geral dos animais em nove por cento – o equivalente a mais de uma década em um ser humano.

“O produto químico vegetal tem alto potencial, como uma intervenção clínica para retardar, aliviar ou prevenir doenças”, disse o autor do experimento, Dr. Yu Sun, da Academia Chinesa de Ciências em Xangai, na China.

Como 

O flavonóide conhecido como PCC1 elimina as células ‘zumbis’ ou ‘senescentes’ que pararam de se dividir. Elas se acumulam naturalmente à medida que envelhecemos – e liberam substâncias químicas que causam inflamação.

“O declínio funcional dos órgãos, o envelhecimento e o aumento do risco de doenças crônicas são causados ​​em parte por seu acúmulo”, explica Sun.

“Aqui, mostramos o PCC1, um componente do extrato de semente de uva, que aumenta a longevidade dos camundongos por meio de sua ação nas células senescentes.”

Células da próstata

O estudo analisou um painel de compostos naturais em um modelo de células da próstata humana cultivadas. Ele descobriu que o PCC1 matava seletivamente as células senescentes – deixando as saudáveis ​​em paz.

Em vários modelos de camundongos doentes, incluindo expostos à radiação, os números da foram reduzidos e a saúde melhorada.

A terapia também melhorou o efeito da quimioterapia naqueles que estavam com imunidade comprometida.

pesquisa

As injeções de PCC1 foram administradas em 91 camundongos machos e fêmeas com idades entre 24 e 27 meses. Em anos humanos, seria na faixa de 75 a 90 anos, explicaram os pesquisadores.

“Um progresso considerável foi feito nos últimos anos para desenvolver agentes específicos para tratar condições individuais relacionadas à idade, como diabetes tipo 2, osteoporose, fragilidade e disfunção vascular.

No entanto, o efeito combinado dessas drogas no controle da morbidade e mortalidade tem sido modesto. Essas doenças tendem a ocorrer em sincronia como multimorbidades – com prevalência aumentando exponencialmente após os 70 anos de idade”, afirmou o cientista.

Terapia natural

As descobertas oferecem esperança de prolongar a saúde e a longevidade – e tratar condições relacionadas à idade com uma terapia derivada de fontes naturais.

O Dr. Sun acrescentou sobre o estudo, publicado na Nature Metabolism: “Os potenciais efeitos anti-envelhecimento do PCC1 fornecem um bom suporte para um maior desenvolvimento translacional e clínico com o objetivo geral de alcançar uma vida mais longa e saudável”.

Com informações do GNN