Vacina nasal previne coronavírus em camundongos, mostra estudo

Foto: PediatricInsider
Foto: PediatricInsider

Cientistas da Escola de Medicina de Washington, EUA, desenvolveram uma vacina contra a Covid-19 que pode ser administrada em uma dose pelo nariz e é eficaz na prevenção de infecções em camundongos suscetíveis ao novo coronavírus.

Embora existam várias vacinas candidatas à Covid-19 atualmente em desenvolvimento, o estudo publicado na revista Cell observou que, ao contrário dessas, a administrada pelo nariz tem como alvo o local inicial da infecção com melhor resposta imunológica.

Vacina similar também foi desenvolvida na Universidade de São Paulo, USP, como mostramos no SóNotíciaBo em junho, com forte resposta imunológica.

Em humanos

De acordo com os pesquisadores norte-americanos, a via de administração nasal criou uma forte resposta imunológica em todo o corpo, mas foi particularmente eficaz no nariz e no trato respiratório, evitando que a infecção se propagasse o corpo.

Agora, eles planejam testar a vacina em humanos para ver se é segura e eficaz na prevenção da infecção por Covid-19.

“Ficamos surpresos ao ver uma forte resposta imunológica nas células do revestimento interno do nariz e das vias respiratórias superiores – e uma proteção profunda contra a infecção por este vírus”, disse o autor sênior do estudo Michael S. Diamond, da Washington University School of Medicine.

Imunizados

“Essas ratos ficaram bem protegidos de doenças. E em alguns, vimos evidências de imunidade esterilizante, onde não há nenhum sinal de infecção depois que o rato é infectado com o vírus”, disse Diamond.

Para desenvolver a vacina nasal, os pesquisadores inseriram a proteína spike do vírus, que o coronavírus usa para invadir células, dentro de outro vírus – chamado de adenovírus – que causa o resfriado comum.

O adenovírus modificado carrega a proteína spike para o nariz e permite ao organismo montar uma defesa imunológica contra o novo coronavírus sem ficar doente, disseram os cientistas.

“Os adenovírus são a base para muitas vacinas experimentais para Covid-19 e outras doenças infecciosas, como o vírus Ebola e a tuberculose, e eles têm bons registros de segurança e eficácia, mas pouca pesquisa foi feita com a aplicação nasal dessas vacinas”, disse estudo co-autor sênior David T. Curiel.

“Todas as outras vacinas de adenovírus em desenvolvimento para Covid-19 são administradas por injeção no braço ou no músculo da coxa. O nariz é uma nova rota, então nossos resultados são surpreendentes e promissores”, disse Curiel.

O desafio dos pesquisadores é que uma única dose produza uma resposta imunológica robusta.

“As vacinas que requerem duas doses para proteção total são menos eficazes porque algumas pessoas, por vários motivos, nunca recebem a segunda dose”, acrescentou Curiel.

Comparativo com injeção

Quando os pesquisadores compararam esta vacina administrada em camundongos entre as vias nasal e intramuscular, eles descobriram que a injeção através dos músculos induziu uma resposta imunológica que evitou a pneumonia, mas não preveniu a infecção no nariz e nos pulmões.

Eles disseram que estas vacinas podem reduzir a gravidade da Covid-19, mas podem não bloquear totalmente a infecção ou impedir que indivíduos infectados espalhem o vírus.

Mas, os cientistas disseram que a via de administração nasal evitou infecções tanto no nariz quanto nos pulmões. Isso sugere que os indivíduos vacinados não espalhariam o vírus, ou desenvolveriam infecções em outras partes do corpo.

Os pesquisadores alertaram que a vacina até agora só foi estudada em ratos.

“Em breve começaremos um estudo para testar esta vacina intranasal em primatas não humanos com um plano de passar para testes clínicos em humanos o mais rápido possível”, disse Diamond.

“Estamos ansiosos para começar a próxima rodada de estudos e, finalmente, testá-la em pessoas para ver se podemos induzir o tipo de imunidade protetora que, pensamos, não só irá prevenir a infecção, mas também conter a transmissão pandêmica deste vírus “, concluiu.

Com informações do Deccan Herald