Professor da UnB conserta respiradores de graça para hospitais do DF

Professor conserta respiradores de graça para os hospitais públicos do Distrito Federal. - Foto: reprodução Metrópoles
Professor conserta respiradores de graça para os hospitais públicos do Distrito Federal. - Foto: reprodução Metrópoles

Formado em Engenharia Elétrica, um professor da Universidade de Brasília (UnB), se voluntariou para uma causa muito necessária neste momento: consertar respiradores para ajudar pacientes com Covid-19.

Edson Mintsu Hung tem recebido aparelhos danificados, pertencentes aos hospitais públicos do Distrito Federal, conserta cada um deles e devolve para a instituição, sem cobrar nada!

Os aparelhos ajudam a salvar diversas vidas, especialmente das pessoas acometidas pelo novo coronavírus.

“Entre dois e três dias por semana, vou aos hospitais do DF para tentar ajudar como posso. A maioria dos problemas é com respiradores, mas já mexi com diversos outros equipamentos”, explica o professor.

Parceria com o Senai

Edson se voluntariou no ano passado ao Senai. A instituição lançou o programa “+ Manutenção de Respiradores”, que tem ajudado hospitais no Brasil inteiro.

Só que o programa do Senai terminou em dezembro. Ainda assim, Edson resolveu continuar com os reparos e tem feito isso sozinho, desde janeiro.

Retorno aos hospitais

O professor utiliza todo o conhecimento técnico que adquiriu quando trabalhava desenvolvendo produtos eletrônicos. Ele também aprendeu algumas técnicas no projeto do Senai.

Segundo Edson, é possível resolver muitos problemas sem gastar dinheiro. “Às vezes, é só trocar uma peça de um para o outro, coisas assim. É importante, pois eu arrumo hoje e, amanhã, os hospitais já estão utilizando”, detalha.

Apesar de gratificante, a rotina de Edson não é muito fácil. Ele precisa correr atrás de peças nos casos mais complicados e ainda dar aulas na UnB.

“Dependo muito do dinheiro que sobrou do MPT e da Finatec [incentivadores do Senai]. Sem isso, não conseguiria fazer nada, pois alguns dos produtos custam R$ 2 mil ou até mesmo R$ 9 mil. É impossível bancar sozinho. Por isso, tento arrumar tudo o que posso sem gastar e separo aquilo que será mais barato para ver primeiro”, esclarece.

Mesmo com toda essa correria, o professor já conseguiu devolver 15 respiradores que estavam sem utilização para a rede pública do DF. “É algo bem urgente, e tento fazer da melhor maneira possível. Na época do Senai, pegamos 99 e devolvemos 66 funcionando”, comenta.

Edson garante que faz todo o trabalho com muita satisfação e na intenção de ajudar o próximo. “A gente vê que o pessoal está com dificuldade. Isso é uma forma de a universidade também dar o retorno para a população, o que considero muito importante”, destaca.

Empresas ou pessoas que estejam interessadas em ajudar o professor a continuar com o projeto podem fazer doações por meio do site da Finatec. O link redireciona para a página específica do trabalho de Mintsu Hung.

Edson Minstu é professor de engenharia elétrica e faz o trabalho de forma voluntária. - Foto: reprodução Metrópoles
Edson Minstu é professor de engenharia elétrica e faz o trabalho de forma voluntária. – Foto: reprodução Metrópoles
Professor analisa cada um dos aparelhos para ver o que pode ser consertado imediatamente. - Foto: reprodução Metrópoles
Professor analisa cada um dos aparelhos para ver o que pode ser consertado imediatamente. – Foto: reprodução Metrópoles

Por Monique de Carvalho, da redação do Só Notícia Boa – Com informações do Metrópoles.